"O mundo do faz de conta lado a lado com a realidade"

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

MAIS UMA CINDERELA DA DISNEY

Uma Cilada Para Roger Rabbit e Space Jam são alguns clássicos do cinema em que os efeitos de animação se misturam com os personagens de carne e osso. E a nova aposta dos estúdios Disney, Encantada, também segue essa linha e surge como o primeiro conto de fadas da companhia a utilizar esses recursos.

A trama foca a história da princesa Giselle interpretada pela jovem atriz Amy Adams, que vive cheia de sonhos no animado mundo encantado em que habita. Insatisfeita com o comportamento açucarado de sua filha, a perversa Rainha Narissa, na pele de Susan Sarandon, usa seus poderes para enviar a princesa para a moderna Nova York do mundo real.

A partir daí, o enredo questiona se realmente um conto de fadas pode sobreviver à dura realidade dos problemas contemporâneos. Cabendo à princesa conseguir respostas para resolver esse entrave, longe de seu reino mágico, animado e cheio de músicas.

O filme é repleto de cenas de ação, com os personagens mitológicos que atravessam o limite do imaginário e aterrorizam a cidade de Mahanttan. Uma comédia com atos musicais e com canções compostas por Alan Menken, responsável pelas trilhas de A Pequena Sereia, A Bela e a Fera e Aladdin.

Mesmo banida e chocada com a realidade da vida cosmopolitana, Giselle se apaixonar pelo charmoso e imperfeito advogado (Patrick Dempsey) que vem em seu socorro, mesmo estando ela prometida ao "bom e velho" príncipe encantado (James Marsden) lá no seu "reino do faz de conta". Enchanted, título original, tem a direção de Kevin Lima (da animação “Tarzan”) além do letrista Stephen Schwartz (de “Pocahontas” e “O Corcunda de Notre Dame”).

Encantada, estréia nos cinemas brasileiros no dia 14 de dezembro e o trailer você acompanha agora.


encantada (enchanted, 2007) gênero: comédia romântica duração: - origem: eua estréia - eua: 21 de novembro de 2007 estréia - brasil: 14 de dezembro de 2007 estúdio: walt disney pictures direção: kevin lima roteiro: bill kellyprodução: barry josephson, barry sonnenfeld

TRÊS SEM SAIR DO AR


Tá a fim de saber por que os meios de comunicação não desistem dos Contos de Fadas?

Então, o seu pitstop continua sendo aqui no blog MF, que vem chegando com a 3ª edição da revista Mundo Fabuloso repleta de novidades e em clima de festas como sugere este mês natalino. E para começar, fechando 2007 com chave de ouro e muita fantasia, eu preparei um exemplar abastecido com o que de melhor tem surgido sobre nossa temática na internet e em obras especializadas em análises de temas infantis.

E a maratona começa com a capa mensal que entra no ar destacando mais uma produção dos estúdios Disney, a animação Encantada, que estréia no próximo dia 14 de dezembro em todo o país, satirizando o (desgastado, mas sedutor) conto de fadas de “A Cinderela”.

Não bastasse apresentar o nosso "baú criativo" que continua amontoado de publicidades “Fantásticas e Empoeiradas”, o Mundo Fabuloso ainda estréia, a sessão “ESPELHO, espelho meu”, com a jovem escritora Lorreine Beatrice, que chega enriquecendo o nosso URL com suas observações sobre mídia, propagandas e a magia de clássicas fábulas inseridas nos sistemas de comunicação.

Nossa página virtual também mostrará a interessante e enigmática sincronia que existe entre o clipe The Dark Side of the Moon, do Pink Floyd e o filme O Mágico de Oz, de 1939. Um fato que já rola na rede há um tempão e que reascende a questão sobre a dúvida: seria esse um episódio de autopromoção ou uma apenas coincidência sustentada pela banda. A polêmica ainda continua com a ligação que o Mundo apresenta entre A BÍBLIA e os Contos de Fadas, mas especificamente entre a cria de Gepetto e o relato bíblico de Jonas e a Baleia.

Como dá pra perceber, conteúdo não faltará para você que curte a programação do Mundo Fabuloso. Muitas novidades pelo Mundo afora..., humor em a hora da piada, destaques musicais na sessão aperte o play e os sons que bombam nas pistas do Mundo download, dicas culturais, e muito mais...


E pra começar, vamos ao post acima de nº 140 com a apresentação do filme Encantada, da Disney...

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Excepcionalmente, o especial "Christian Andersen - O pai do Patinho Feio" será apresentado na edição de dezembro da revista Mundo Fabuloso. Aguarde!

A BAILARINA E O SOLDADO DE CHUMBO

Arnaldo Antunes é presença confirmada para a comemoração do 4º aniversário da trupe paulistana O Teatro Mágico, que acontece no Espaço das Américas, em São Paulo, no próximo dia 8 de dezembro. E quem curte essa banda que vem se consolidando a cada ano com uma inovadora autenticidade artística, já pode ir se preparando e agendar na caderneta, pois essa será a última apresentação do grupo, na capital, neste ano de 2007.

O show tem censura de 16 anos e os ingressos podem ser adquiridos pela internet no site ingressorápido.com.br ou pelo fone: (11) 2163-2000. Mas enquanto a festa não começa pra valer, vamos conhecer uma das músicas de O Teatro Mágico que se propõem a dar uma continuidade ao clássico O Soldadinho de Chumbo, do escritor Hans Christian Andersen.

A BAILARINA E O SOLDADO DE CHUMBO

De repente toda mágica se acabou e na nossa casinha apertada
Tá faltando graça e tá sobrando espaço
Tô sobrando num sobrado sem ventilador
Vai dizer, que nossas preces não alcançaram o céu
Coração, que inda vem me perguntar o que conteceu
Contece seu rosto por acaso ainda tem o gosto meu

Com duas conchas nas mãos, vem vestida de ouro e poeira
Falando de um jeito maneira
Da lua, da estrela e de um certo amor
Que agora acompanha seu dia, e pra minha poesia é o ponto final
É o ponto em que recomeço, recanto e despeço da magia que balança o mundo
Bailarina, soldado de chumbo
Bailarina, soldado de chumbo
Beijo e dor
Bailarina, soldado de chumbo
Nossa casinha pequena parece vazia sem o teu balé
Sem teu café requentado soldado de chumbo não fica de pé
Nossa casinha vazia parece pequena sem o teu balé
Sem teu café requentado soldado de chumbo não fica de pé

Espaço das Américas - Rua Tagipuru, 795 – Barra Funda – Ao lado da estação de Metrô/Trem Barra Funda

terça-feira, 27 de novembro de 2007

AMERICAN MCGEE’S GRIMM SÓ EM 2008



Com uma narrativa deturpada e repleta de ações de violência, foi confirmado para o segundo trimestre de 2008, o lançamento do game American McGee’s Grimm para PC. Um projeto trata-se do mais novo trabalho do designer American McGee, famoso pelo seu “Alice”, lançado em 2000.

Esse novo jogo seguirá uma linha parecida com a de seu antecessor, recontando de forma sombria as histórias de Chapeuzinho Vermelho, Os três porquinhos, João e Maria e outros contos dos irmãos. Os jogadores terão acesso a um mundo grande e aberto (como em Grand Theft Auto), com a possibilidade de receber diversas missões correspondentes a cada uma dessas histórias de fadas. Minha interpretação dessas fábulas clássicas vão dar aos jogadores um jeito divertido e criativo de vivenciar como essas histórias deveriam se desenrolar originalmente, declarou McGee.

American McGee’s Grimm está sendo desenvolvido pelo estúdio Spicy Horse, e deve ser lançado de forma bem curiosa: o jogo ficará partido em 24 episódios, que serão disponibilizados para download, periodicamente, como em uma série de tv. Ainda não se sabe se os jogadores poderão adquirir tudo de uma só vez ou se cada episódio será comprado separadamente. Mas o que se tem confirmado e que já está rolando pela net, são as belíssimas artworks do game como segue abaixo. São fantásticas, confira!

a galinha dos ovos de ouro

Pinóquio

o Príncipe Encantado - Cinderela

os Três Porquinhos

Chapeuzinho Vermelho


Já que a sensação de "doce retirado da boca da criança" ficou no ar, você pode dar um confere no demo de Alice, que apresenta a protagonista dos País das Maravilhas em fase adulta e internada num hospício, de onde, com a visita do coelho, ela retorna a sua terra, agora em ruínas.

Tanto o coelho como gato-do-sorriso estão em um estado deplorável, e Alice não fica atrás. No game, ela deve sacar seu facão para lutar contra o exército da Rainha de Copas, em um jogo extremamente psicodélico e com um estilo um tanto obscuro, criando o clima perfeito de um dos piores pesadelos já imaginados.



segunda-feira, 26 de novembro de 2007

DJ TIESTO - IN THE DARK

(26/11 a 02/12/2007)

O clipe In the dark do dj Tiesto é o destaque da semana, na sessão "aperte o play!", aqui no Mundo Fabuloso.

Ele que começou a sua carreira profissional em festas escolares, conseguindo depois ser residente em vários clubs holandeses, entre 1985 e 1993, até já havia produzido faixas hardcore/gabber, sob os nomes artísticos de "Da Joker" e "DJ Limited". Mas logo passou a produzir um som mais próprio e próximo do que é hoje conhecido. Porém, embora Tiësto seja considerado um dj trance, ele passa nos seus sets também um pouco elementos do segmento tecno e house.




www.tiesto.com
baixe o mp3 de "In the dark"!

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

MAIS DO MESMO

Aliás, essa peça da BorghiErh/Lowe, analisada pelo profº Salatiel no post abaixo, também é capa da edição nº 11 da revista Pasta, uma publicação bimestral do Clube de Criação de São Paulo, que acaba de sair do forno e é a última produzida para este ano de 2007.

Misturando opiniões inteligentes, entrevistas com profissionais reconhecidos do mercado nacional e internacional, e arquivos dos melhores trabalhos garimpados da sessão NOVO do CCSP, a Pasta tem se tornado referência fundamental para quem trabalha com criação e produção publicitária.

Então se você ainda não é assinante e deseja conhecer mais sobre essa bela publicação, ligue para o número (11) 3038-1411 ou acesse http://www.ccsp.com.br/pasta.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

CONTOS DE MELISSA - por José Renato Salatiel

Há poucos dias, levei um susto ao descobri que o cara que foi o maior incentivador para que o Mundo Fabuloso ganhasse vida e construísse uma identidade “legal e bacana” pela internet, decidiu pôr um ponto final no seu site LARANJA MECÂNICA, fechando um ciclo de comprometimento e interatividade entre alunos e blogueiros.

Uma ausencia significativa tanto de conhecimento quanto de sua sagacidade ao desenvolver textos bem humorados e abastecidos de fatos históricos e informações ultramodernas, como esse lance de web 2.0, e por aí vai. Um “professor” que é inspiração e exemplo, como aquele do filme “Sociedade dos Poetas Mortos”, sabe? E que me obriga, com o maior prazer, a registrar sua colaboração no MF, já que cortamos o cordão umbilical desde o semestre passado e parece que essa distância tende a aumentar cada vez mais por motivos profissionais.

De qualquer forma, é com alegria que reapresento um post que rolou no LARANJA, em agosto deste ano, e que continua atualíssimo, até então, representando a publicidade de maior audiência e um dos índices mais significativos por buscas de termos, aqui no Mundo Fabuloso. Trata-se de um anúncio que faz parte da campanha Contos de Melissa, que foi analisado com doses de humor, e com base em estudos da Teoria da Informação.

Vamos conferir!


CHAPEUZINHO VERMELHO, A HISTÓRIA QUE A VOVÓ NÃO CONTOU


por José Renato Salatiel

Chapeuzinho quem diria. Sabem aquela história da Chapeuzinho Vermelho? Todos conhecem. Mas sabiam que ela era uma garotinha na puberdade? E que não usava vermelho porque era simpatizante do PT, mas porque teve sua primeira menstruação? Pois é, daí o conselho de mamãe: cuidado com o Lobo Mau, que ele quer te COMER. E aí já viu, agora que o óvulo pode ser fecundado, isso não vai dar certo. Assim, aquela menininha ingênua e inocente (leva doces, lembram?) se embrenha na mata (os mistérios químicos da adolescência) na esperança de chegar a salvo na casa da vovó (a segurança da Família). E aquele lobo que tinha tudo GRANDE... Ai, que meda

O Lobo se deu bem.

Saquem só a peça. O Lobo numa Harley Davidson "envenenada", pura potência e instinto. A Chapéu levando... champanhe! E vestindo cinta-liga. Com certeza eles não estão indo pra casa da vovó. Eu nem vou falar dos coelhinhos e dos cogumelos no canto inferior direito que é covardia.

Babado teórico

O discurso persuasivo da publicidade tem sua eficácia em uma dosagem certa de taxas de REDUNDÂNCIA e RUÍDO na mensagem. Precisamos de uma certa taxa de originalidade para chamar atenção do consumidor/receptor, para que ele perceba a INFORMAÇÃO. Mas não podemos frustrar as expectativas de previsibilidade a ponto da mensagem se perder no ruído, em outras palavras, não ser compreendida. Como fazemos isso? Trabalhando a redundância, aquilo que o consumidor/receptor já sabe, que faz parte do seu REPERTÓRIO.

Na peça em questão (na verdade, em toda campanha)foi usado o estoque inesgotável dos contos infantis. Todos conhecem a história da Chapéu, certo? A informação, a originalidade, está nesta versão pouco convencional. Qual o objetivo? Mostrar que a "melissinha" (criada em 1979) não é mais tão inocente assim. Afinal de contas, ela tem Orkut e sabe usar o Google. A mensagem do anúncio é: "Esqueça o bla-bla-bla da mamãe-Chapéu. Compre Melissa e seja mulher. Fique com o Lobo Mau, sem medo!" (ora, na cestinha ela leva algo além da campanhe). Para a turma de Semiótica, é a mesma mensagem daquele famoso comercial da Valisére.

Notem que, diferente do discurso estético, que lança mão do ruído para resignificar códigos e abrir diferentes caminhos interpretativos - incomodar o receptor - no discurso persuasivo o objetivo é convencer, dar um sentido único, levar ao lugar-comum da sociedade de consumo. Todos já sabíamos que a história iria acabar assim.

E olha só a cara de felicidade da Chapéu!

José Renato Salatiel
Jornalista e Docente. Doutorando em Filosofia (PUC-SP) e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP). Atua nas áreas de Teorias da Comunicação, Semiótica, Novas Mídias, Jornalismo Impresso, Pragmatismo e Teoria do Conhecimento.


terça-feira, 20 de novembro de 2007

THE POLICE NA FAIXA


Essa é a sua chance de conferir o mega show do The Police live in Rio na faixa, regado de muita cerveja e a maior curtição. O portal cervejasol.com.br está garantindo 175 pares de ingressos para "o show do ano" que acontecerá no próximo dia 8 de de dezembro, no Maracanã, RJ.

Os primeiros sortudos já garantiram seus lugares nas arquibancadas e áreas vips, e você ainda tem muita chance de concorrer. Responda a pergunta: QUAL A MAIOR LOUCURA QUE VOCÊ FARIA PARA ASSISTIR AO SHOW DO ANO?

As respostas mais criativas levam a convite na faixa. Então participe agora!



A PRINCESA NEGRA DA DISNEY


O filme (A Princesa e o Sapo), The Princess and the Frog, que foi anunciado no início deste ano pelos estúdios Disney, continua em fase de produção e tem seu lançamento previsto apenas para dezembro de 2009. Uma animação que apresentará a primeira heroína negra da Disney Feature Animation.

A Princesa e o Sapo será mais um conto de fadas americano estrelado pela personagem Tiana, uma menina de aproximadamente 19 anos de idade, dona de uma personalidade forte e que vive no bairro de Nova Orleans, EUA. Um musical que contará com a trilha sonora assinada pelo compositor Randy Newman e que, apesar de não ter sido divulgado grandes detalhes sobre esse projeto, sabe-se que a ação da trama acontece por volta de 1920, em pleno apogeu da cultura Jazz, e que terá como fada madrinha uma sacerdotisa voodoo, de nome Mama Odie.

Ainda faltam pouco mais de dois anos para o efetivo lançamento desta produção, porém o que se sabe, até o momento, é que Tiana se juntará as oito outras “personagens princesas” que já geraram mais de 3 bilhões de dólares em vendas globais no varejo para a Disney, desde 1999. A primeira heroína étnica (não branca) desenvolvida pela companhia surgiu no filme Aladim, em 1992. Era a personagem Jasmine que representava o Oriente Médio. Três anos depois foi a vez da princesa indígena americana Pocahontas. E em 1998, nasceu a protagonista chinesa Mulan.

A Princesa e o Sapo surge como uma homenagem aos povos negros e à cidade de Nova Orleans, que tenta se recuperar da devastação ocasionada pela inundação trazida pelo furacão Katrina. A bandeira Disney Princesses, ainda conta com outras “protagonistas princesas da animação” são elas: Cinderella, A Bela Adormecida, Branca de Neve, A Bela (de A Bela e a Fera) e A Pequena Sereia.

A atriz Anika Noni Rose que participou do filme DREAMGIRLS: EM BUSCA DE UM SONHO, atuando ao lado de Beyoncé Knowles e Jennifer Hudson, através de sua voz, dará vida a personagem Tiana. Posto garantido após disputada competição entre Tyra Banks, Jennifer Hudson e Alicia Keys.

Uma série de fatores tem garantido polêmicas sobre questões que envolvem essa animação. O nome da personagem principal, por exemplo, que inicialmente foi divulgado como “Maddy”, teve que ser substituído por soar como “Mammy” (modo com as escravas eram tratadas no sul americano) ou “Addy” (que supostamente era um nome escravo); outro ponto refere-se ao início do filme, onde Tiana começa trabalhando como a empregada de Charlotte, uma rica, branca e mimada debutante do sul, circunstâncias que alguns especialistas em direitos humanos consideraram fator discriminatório e que apresentava resquícios de escravidão. O título original do filme The Frog Princess (A Princesa Sapo) também foi alterado e o novo tem sido interpretado por algumas organizações como um insulto à França, ou ao mínimo uma alfinetada na realeza daquele país.

Para tais “acusações”, o departamento de publicidade dos estúdios Disney se manifestou tentando dar um fim aos rumores de que o filme seria politicamente incorreto. A posição foi dizer que nenhuma das informações liberadas até agora foram oficiais. Oficiais ou não, toda ousadia sempre causa polêmica, E DISSO TODOS NÓS SABEMOS. Mas o interessante, é que ainda que demore mais dois anos, e por mais que o filme não atinja recordes de audiência e limite-se ao gosto ilhado de um público que entende o valor dessas ações, mais um passo foi dado e serve de fator estimulante nesta data reservada a homenagens ao Dia da Consciência Negra.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

MOTOMIX 2007

Pelo 5º ano consecutivo e cada vez mais conectado com a música, a arte e as multimídias contemporâneas, o festival MOTOMIX chega em São Paulo entre os dias 25 de novembro e 3 de dezembro, efervescendo o circuito musico-interativo paulistano.


Com shows gratuitos no Parque do Ibirapuera, bandas e djs agitando os clubes
mais badalados da capital, e diversas instalações de sons e imagens que completam o arsenal do festival, o público jovem terá a oportunidade e experimentar e conferir as grandes novidades de projetos audiovisuais incentivado pelo evento.

Inquietação, criatividade e total liberdade de idéias caminham lado a lado com a web 2.0, nesta edição 2007 do MOTOMIX. Novas concepções foram arquitetadas por “coletivos de arte” e suas idéias serão apresentadas, simultaneamente, com inúmeras atrações internacionais (todas inéditas no Brasil) e novos talentos das artes e da música. E tudo começa no dia 25 de novembro, onde o Parque Ibirapuera será o palco de um show gratuito com apresentações ao ar livre, no estilo chill, que há muito tempo faz sucesso nos verões europeus. O produtor alemão Apparat, um dos expoentes da eletrônica mundial, estará entre os destaques desta noite.

O legal é saber que mais do que um festival de música tecno-eletrônica, o MOTOMIX 2007 se consolida como a única mostra de arte no Brasil, que reúne talentos emergentes e artistas que são considerados referência na cena mundial. Um outro diferencial fica a cargo dos clubes que participam da programação dessa festa, garantindo uma maior diversidade de público que curte um som alternativo.

CIRCUITO CLUBS MOTOMIX

Sempre com abertura de uma atração nacional, a festa começa na terça-feira, 27/11, com o DJ Vadim tocando no Studio, na Vila Madalena.

Quarta-feira, dia 28/11, o Clash Club, na Barra Funda, recebe a banda-sensação Eagles of the Death Metal.

Quinta, dia 29/11, na Consolação, o Royal vai ferver com o set de Mark Ronson, produtor de “avalanches do pop” como Amy Winehouse e Lilly Allen.

Na Sexta, dia 30/11, também no circuito noturno da Barra Funda, é a vez do D-Edge abrir suas portas para o som do Black Devil Disco Club.

E no dia 1º de dezembro, encerrando a programação musical do MOTOMIX 2007, o clube Vegas, na rua Augusta, leva para o palco o Boys Noize e sua batida imperdível.

Então, se bateu aquela vontade de cair na balada e curtir algumas dessas inéditas atrações, em São Paulo, dá um confere no site www.motomix2007.com conheça os Motoblogs com outras novidades bacanas sobre o evento e... bom divertimento!

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

A FANTASIA NA CAMPANHA DA PUKET


O Mundo Fabuloso quebra as fronteiras interestaduais e apresenta Lorreine Beatrice como a mais nova colaboradora dessa empreitada na internet. Diretamente de Blumenau - Santa Catarina, graduada em publicidade e propaganda e escritora de publicações infantis como o livro Bosque Quimera, ela se junta a galera que estuda esse lance de "contos de fadas" e apresenta a moderna fantasia que faz parte da última campanha da rede de franquias Puket.

Um trabalho que utiliza diferentes argumentos dos contos infantis e que surge em releituras atualizadas e adequadas para cada público a que se destina. Uma seqüência de imagens que foram enviadas no intuito de dar fôlego ao quadro Eu no Mundo, e que mostra uma coleção inspirada na temática "fantasia” remetida à mulher moderna, aos jovens descoladores e a criançada, todos em momentos diferentes em suas vidas.

Confira as peças que se baseiam no conceito: Sua história quem conta é você.


Eis a bela... nada adormecida - A Bela Adormecida


Esses anões não largam do meu pé... - A Branca de Neve e os Sete Anões


Alô! O Capitão Gancho, por favor? - Peter Pan


João, vai catar pedrinhas! - João e Maria


Quem tem medo do Lobo Mau? - Chapeuzinho Vermelho


Está dada a largada para o teste do sapatinho – Cinderela


Aberta a temporada de caça aos lobos - Chapeuzinho Vermelho


Uau! Gato sem Botas – O gato de botas


Abóbora? To fora! - Cinderela

"Se a publicidade caminha cada vez mais no sentido de destacar valores subjetivos e argumentos emocionais das marcas/produtos/serviços, o dialogismo com os contos de fadas colabora para envolver o receptor, criando um "ambiente" discursivo lúdico e fazendo com que o consumidor sinta-se atraído por algo familiar que fale diretamente ao seu interior." - Lorreine Beatrice


terça-feira, 13 de novembro de 2007

A BORRALHEIRA DE CHARLES PERRAULT

Cinderela ou Borralheira é uma história enganadoramente simples e que compartilha da mesma popularidade que Chapeuzinho Vermelho. Um conto que vai direito ao ponto e que é reconhecido hoje em dia em diversas versões, entre elas, a que deriva de Charles Perrault e outra dos irmãos Grimm. Essencialmente, trata-se de uma trama que fala de sofrimento e rivalidade, de desejos que se tornam realidade, dos humilhados que são exaltados, da virtude recompensada e da maldade que é castigada.

A Borralheira por Perrault é adocicada e detentora de uma ingenuidade que chega a irritar, uma heroína sem nenhuma iniciativa. Em seu conto é ela própria quem decide dormir entre as cinzas, fato que deu origem ao seu nome, veja: Quando terminava o trabalho, ia para um canto da lareira e se instalava entre as cinzas”. Esse tipo de autodesvalorização não existe na história dos irmãos Grimm.

Estudos mostram que muitos elementos foram negligenciados na versão elaborada por Perrault, que se despojou de passagens que considerava vulgar e refinou o restante para que o conto pudesse ser exposto na Corte de Versales, para a qual prestava serviços. Sendo ele um autor de bom gosto e grande habilidade, inventou novos detalhes e modificou outros tantos para que ficassem de acordo com as concepções estéticas esperadas pela realeza.

O pé é capaz de mudar uma vida. Lembra da Cinderela?

anuncio ADD calçados

tipo: revista titulo: O pé é capaz de mudar uma vida. Lembra da cinderela? redação: Ana Reber direção de arte: Paulo Pretti, Luter Filho direção de criação: Carlos Domingos, Paulo Pretti artebuyer: Tomaz Valentim produção gráfica: Rita Vilarim agência: age. Comunicações anunciante: ADD produto: Institucional mídia: Thiago Ferraz e Kelly Toledo fotografia: Marcelo Arruda ilustração: Melissa Lagoa aprovação: Karina Mosmann


Um exemplo dessas mudanças credita-se ao episódio do fatídico sapatinho ser de cristal, o que só ocorre em variantes que derivam da história escrita por Charles Perrault. No trabalho de Bruno Bettelheim, A Psicanálise dos Contos de fadas, uma explicação é apresentada para esse significativo detalhe que compromete toda a estrutura da história, marcando, a partir de então, um divisor no conto da Borralheira. A controvérsia ocorre entre duas palavras que parecem ter confundido Perrault. Em francês os termos vair (que significa peles variadas) e verre (cristal ou vidro) possuem pronuncias semelhantes. Com isso, acredita-se que ouvindo a narrativa a partir populares, ele tenha se atrapalhado com as palavras e substituído por engano um sapatinho que seria de pele, por um de vidro. Uma invenção não tão inusitada para um conto de fadas, porem que teve que desprezar uma importante seqüência presente em versões anteriores, que mostra o canto dos passarinhos chamando a atenção do príncipe para a mutilação dos pés das irmãs postiças.

Com pés cortados e apertados, Esta cavalga com o rei,

Enquanto na cozinha se escondem, Pés formosos e elegantes.”

Se os sapatinhos fossem mesmo de vidro, o príncipe não precisaria ter sido avisado pelos pássaros sobre as marcas de sangue presente nos pés das moçoilas. Sangue esse, que como na versão escocesa intitulada de Rashin Coatrê, surge como conseqüência da ação protagonizada pela madrasta, que consegue a força calçar os sapatos nos pés das filhas, cortando os dedões de uma, o calcanhar de outra. Uma grosseira mutilação que não estaria de acordo com a idéia de Perrault, em produzir uma história totalmente polida da face de Borralheira.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

ELECTROLUX CONVERSA COM A NOVA CINDERELA

Estratégia desenvolvida pela F/Nasca detecta três novos perfis femininos

No último dia 5 de novembro, a agencia de publicidade F/Nazca estreou sua primeira campanha publicitária para a Electrolux, onde trata das relações entre homens e mulheres, através de um viés emocional e bem descontraído. Uma estratégia de comunicação que surge na tentativa de construir um posicionamento e mostrar para as mulheres de todo o país que, através de seus produtos, a Eletrolux é a marca que entende a atual mulher brasileira.


Visando atingir todas as classes sociais e regiões do país, a F/Nazca decidiu falar com um dos “três novos perfis” de mulheres identificados por meio de pesquisas, a "Nova Cinderela". Segundo Fernand Alphen, diretor de planejamento da agencia, embora tenha sido a Nova Cinderela, o “perfil a abr
e alas” dessa campanha, os trabalhos desenvolvidos acabam por atingir também os outros dois, a "Nova Amélia" e a "Poderosa”. De acordo com Alphen, a Nova Cinderela é a mulher parceira, que embora seja independente, não compete com o seu companheiro. É aquela que acredita na relação sem abrir mão das conquistas femininas dos últimos 50 anos. A Nova Amélia seria a esposa sem coragem para romper padrões. É aquela que ainda é muito influenciada por gerações passadas e que não se emanciparam, ou se sim, o fizeram tardiamente. Já a Poderosa, é a filha da mulher que queimou sutiã. Ela é conflituosa, um perfil que luta com o homem de igual para igual. É competitiva e procura estabelecer uma relação de poder com o companheiro.

Para ressaltar o conceito "Não é difícil agradar você. É só pensar como você. A Electrolux conseguiu”, foram realizadas três produções que mostram cenas cotidianas com soluções tecnológicas, que serão veiculadas por cerca de dois meses, em sistema de rodízio em TV aberta e fechada de todo o país. Os filmes representam uma espécie de “epopéia ao relacionamento” dessas mulheres com os homens e do reconhecimento da classe masculina acerca da importância das mulheres não como objeto sexual, ou apenas para cuidar do lar, mas como parceira, sem fazer uso de clichês.

Tanto os anúncios para mídia impressa como os comerciais falam sobre “habilidades imaginárias”que, de acordo com a Electrolux, os homens deveriam ter, uma vez que desenvolveram para seus produtos recursos capazes de satisfazer necessidades e desejos femininos. O filme "Flores" (confira o vídeo no site da F/Nazca) fala sobre o sistema de turbo secagem da lavadora de roupas. O plano de mídia prevê além dos filmes, cinco anúncios de página tripla que devem ser veiculadas em todas as revistas semanais e mensais de circulação nacional, peças para internet nos principais portais, reformulação do site da marca e material para ponto-de-venda. A criação é de Fábio Fernandes que também assina a direção de criação ao lado de Eduardo Lima. Cláudio Borrelli assina a direção do filme.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

CONTOS DE FADAS ERÓTICOS

Imagine saborear, literariamente falando, ousadas narrativas de personagens como A Branca de Neve, O Patinho Feio, O Barba Azul e Cinderela sob uma ótica extremamente sedutora e erótica, envolvidas em contextos que se encaixam perfeitamente ao enredo original de cada uma das fábulas apresentadas.

Em Contos de Fadas Eróticos, da escritora Nancy Madore, esse lado picante de príncipes e princesas mostra-se sem pudores e sem nenhum recato, realizando fantasias que vão do sadomasoquismo ao tradicional romantismo épico, que se sustenta há séculos por meio dos contos de fadas. A escritora apresenta uma boa opção para quem gosta de ficção erótica e viaja na criatividade requintada dessas polêmicas produções, que ganham cada vez mais espaço no cenário de literatura erótica brasileira.

O escritor britânico Alan Moore também foi outro que em meados de 2007 lançou seu belíssimo Lost Girls – Meninas Crescidas, o primeiro livro de uma série de três que conta os segredos íntimos de personagens como Wendy (de Peter Pan), Dorothy (de O mágico de Oz) e Alice (de Alice no País das Maravilhas) todas expostas em versões adultas. Onde descobertas sexuais e confidencias pra lá de picantes deliciam e aguçam o imaginário dos leitores grandinhos que curtem conteúdos para maiores a partir da literatura infantil.

Com o lançamento da publicação Contos de Fadas Eróticos a editora Harlequin Books pretende investir muito mais no nicho de romances que giram em torno dessa temática, e que representa uma exigente e sofisticada fatia do mercado editorial nacional.

Agora se você ficou com vontade de conhecer um pouco do que a escritora Nancy Madore revela nesse seu novo livro, o Mundo Fabuloso te linka com o pdf de Contos de Fadas Eróticos e abre caminho para uma leitura agradável e repleta de sensações. Mas contenha-se, hein?

Título: Contos de Fadas Eróticos - Autora: Nancy Madore - Edição: 01 - Linha Editorial: Nossos Best Sellers - Preço: R$39.90 - Páginas: 304

terça-feira, 6 de novembro de 2007

O LENHADOR E OS CONFLITOS HUMANOS

Eu já tinha ouvido falar sobre o conceito embutido no enredo do filme O Lenhador, mas não sabia que era tão explicito e nem precisa ser nenhum expert em semiótica para entender as referências que “o longa” joga em nossa frente o tempo todo. Conhecendo a base estrutural da história de Chapeuzinho Vermelho, tudo fica muito mais claro. E se não conhecer, também não tem problema porque há momentos em que os personagens fazem comentários sobre esse clássico dos Irmãos Grimm.

O filme trata do polêmico tema de pedofilia e traz Kevin Bacon na pele de um ex-presidiário, condenado por molestar crianças, que recebe condicional e que tenta superar sua incontrolável realidade doentia. Uma produção que trata do lado negro do ser humano e que propõem a discussão sobre problemas incomuns que fazem parte da vida real. Walter, o personagem central da trama, apresenta-se como um homem franco consigo mesmo, ciente de seu desvio de comportamento, e que tenta entender se seria possível se desvincular de seus distúrbios compulsivos ou se estaria condenado a esse mal até o fim de seus dias.

Ofensas, cobranças e ameaças são constantes na vida desse Lobo, que acaba por se revoltar com as pressões vindas de todos os lados e segue ao fatídico bosque onde se desenrola o episódio principal do Conto. Há tempos perseguindo os passos de uma garotinha de apenas 11 anos de idade, que com jaqueta vermelha e capuz faz uma associação clara e fácil com Chapeuzinho Vermelho, o ex-detento segue para confirmar mais uma vítima de seus obscuros desejos.

E é nesse momento de maior tensão de O Lenhador, que Walter, “o Lobo Mau”, prestes a cometer mais um de seus ataques subversivos, se confronta com uma situação surpreendente e esclarecedora para seus problemas. Ao descobrir que a doce menina já vinha sendo vítima constante de violências sexuais dentro de sua própria casa, o personagem parece incorporar caçador-herói e recebe a resposta que sempre esperava para solucionar a conflitante situação que lhe atormenta. Um “sacode” que atribui a Walter, apenas no final do filme, a função de defensor como propõem o conto de fada, onde o lenhador salva a Chapeuzinho da barriga do animal e a deixa seguir livre sã e salva pela floresta.

Ah! Analisar o cartaz do filme é covardia, hein? Tá na cara a situação sexual a que ele remete.

Gênero: Drama Duração: 87 min Distribuidora: Newmarket Film Group / Imagem Filmes Produtora(s): Dash Films / Lee Daniels Entertainment / The Woodsman LLC Diretor(es): Nicole Kassell Roteirista(s): Steven Fechter e Nicole Kassell Elenco: Kevin Bacon (Walter), Kyra Sedgwick (Vickie), Eve (Mary-Kay), Mos Def (Sargento Lucas), David Alan Grier (Bob), Benjamin Bratt (Carlos), Kevin Rice (Candy), Michael Shannon (Rosen), Hannah Pilkes (Robin)